segunda-feira, 10 de outubro de 2016

SLAYER - Reign in Blood, Um Marco No Panteão Das Divindades Do Metal Pesado.





 Ler em Português  

Read in English


30 anos se passaram, mas o que poderia ser para muitos um envelhecimento, no caso do terceiro disco do Slayer é mais um ano rumo à eternidade. O ano de 1986 rendeu bons frutos para a cena metal no mundo, considero o ano do ápice do estilo mais amado e odiado na face desse planeta. 

Naquela época, Rick Rubin tinha uma gravadora, a Def Jam, mais conhecida pela cena hip hop, porém o conhecido produtor apostou naqueles caras e ajudou a trazer ao mundo uma agressividade latente e desmedida, tanto é que Reign In Blood foi considerado pela revista Kerrang! "o álbum mais pesado de todos os tempos", e juntamente com Master of Puppets do Metallica, Among The Living do Anthrax, e Peace Sells... But Who's Buying do Megadeth, moldou a trilha sonora do thrash metal durante a década de 80. 

Slayer deixa o lado satânico de suas letras e mergulha em temas mais condizentes com a realidade, e isso de certa forma dá mais substância ao álbum. Angel Of Death, que fala sobre Joseph Mengele - médico que conduzia experiências macabras e doentias com os judeus nos campos de concentração nazista - inicia a agressividade que vai permear o disco até o último minuto. Diferente de seus discos anteriores - Show No Mercy e Hell Awaits - a produção está mais "na cara" e limpa, podendo ouvir todos os instrumentos nitidamente. A estrutura de Angel of Death é perfeita. Um refrão que faz todos cantarem, versos cantados agressivamente e com melodia; riffs e mais riffs, e tudo isso sendo conduzidos pela bateria insana. Aliás, falar de Tom Araya, Kerry King, Dave Lombardo e do saudoso Jeff Hanneman é chover no molhado. Todos nós sabemos que essa formação é mágica e quem criou os maiores discos dessa instituição chamada Slayer. 



É interessante porque Reign In Blood é com toda a certeza a junção perfeita do metal com atitude punk, e enquanto outras bandas faziam músicas mais elaboradas com tempos mais longos, o Slayer suprimia tudo isso em poucos minutos. Era como sentir uma seqüência de socos na boca do estômago e cair no chão sem saber quem o atingiu. Músicas como Jesus Saves, Reborn, Postmortem e as clássicas Raining Blood e Angel of Death pavimentam a agressividade dessa banda, e que quando se apresenta ao vivo você pode sentir a presença do Tinhoso no palco tamanha a aura maligna que permeia essa instituição chamada Slayer!

https://www.youtube.com/watch?v=T5_SEr4k6rA

Tracks:
01. Angel Of Death
02. Piece By Piece
03. Necrophobic
04. Alter Of Sacrifice
05. Jesus Saves
06. Criminally Insane
07. Reborn
08. Epidemic
09. Postmortem
10. Raining Blood